Passarela da fé

Passarela da Fé

Arquiteto e Urbanista : Paulo Pinhal

Todos os anos uma multidão de fieis fazem peregrinação para Aparecida do Norte para ver a Padroeira do Brasil. Em sua maioria prefere fazer pela Rodovia Presidente Dutra, pois ela é bem servida de apoio, quer seja dos Postos de Serviços e Restaurantes, bem como também de voluntários que se dispõe a ajudar os peregrinos, fornecendo água, frutas, café etc…

Conforme a concessionária CCR Nova Dutra, mesmo com as campanhas de orientação, o número de peregrinos na estrada só vem aumentando. No ano passado, foram contabilizados 20 mil romeiros caminhando pela rodovia com destino à Aparecida, no período da festa, em outubro.

A concessionária e o DER pedem que os romeiros usem caminhos alternativos mais seguros, como a Rota da Luz. Criado pelo governo estadual, esse roteiro começa em Mogi das Cruzes, próximo da capital, e segue paralelo à Dutra por 194 km até Aparecida, passando por ruas e estradas menos movimentadas de oito cidades.

A rota é sinalizada. Conforme Virgílio Leocádio, gestor de atendimento da concessionária, apesar das campanhas, o roteiro mais seguro ainda é pouco utilizado, principalmente por falta de apoio ao longo do caminho.

A certeza do aumento de peregrinos a cada ano e o pouco apoio dado pela concessionária que se limita a apenas avisar os motoristas para terem cuidados com os peregrinos no acostamento é um anuncio para uma tragédia maior.

Os peregrinos já estão em estado de vulnerabilidade, pois estão ocupando o acostamento e as vezes em pirambeiras sem qualquer tipo de proteção.

Proposta.

Considerando a responsabilidade da CCR com quem circula pela estrada, sendo responsável indireta por todos os acidentes que ocorrem. O mínimo que ela deve fazer é proporcionar segurança para os seus contribuintes.

         Testemunhamos um grupo de peregrinos a pé que estrangulou o acostamento e fez com que um ciclista para não bater neles entrasse na pista, fazendo com que um carro que vinha freasse para não bater no ciclista e este por sua vez estava sendo acompanhado com uma moto na traseira, que por conta da freada acabou batendo na traseira do carro e girando pegou outra moto. Um ônibus vinha na velocidade permitida para a Rodovia e vários romeiros entraram na pista para segurar o transito e evitar que os motociclistas no chão não fossem esmagados. Poderia ser uma tragédia com perdas de vida, mas tivemos só perdas materiais.

Situações como esta, sempre ocorrem, e a CCR não deixa de ser responsável indiretamente por estes eventos.

Nossa proposta é a criação de uma calçada de 1,50m de largura em “placas” que vá de Guarulhos a Aparecida do Norte.

         Esta passarela, denominada “Passarela da Fé”, seria patrocinada pelas empresas que estão ao longo da Dutra, criando condições de não gerar despesas para a concessionária. Por outro lado, teríamos um ordenamento de uso com segurança para os peregrinos.

         Alguns trechos onde não dá para construir a passarela, nós teríamos um estreitamento do acostamento de uns 0,80m., para que não prejudicasse os automóveis.

         Acreditamos que esta é uma proposta que vai dar segurança aos peregrinos.

          Vamos salvar vidas.           

Mogi das Cruzes, 15 de outubro de 2019

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *