Duplicação Mogi Bertioga

Estrada sobre estrada

Paulo Pinhal

A SP-98 é a Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro mais conhecida como Rodovia Mogi-Bertioga, foi inaugurada em 1982, durante a gestão do governador Paulo Maluf, ligando o município de Mogi das Cruzes, localizado no planalto, até Bertioga.

Mogi das Cruzes sempre sonhou em ter um acesso ao litoral, pois a praia fica a mais ou menos 50 quilometros da cidade. A construção da estrada sempre foi promessa dos politicos mogianos que se realizou com o empenho do então Prefeito Waldemar Costa Filho e com a ajuda técnica do Engenheiro Jamil Halage.

A construção da estrada impactou de maneira positiva para ambos os municipios. Mogi das Cruzes que passou ser uma opção de acesso para o Litoral Paulista e para Bertioga cujo crescimento exponencial contribui para que em 1991 o municipio deixasse de ser um pequeno distrito de Santos.

Todas estas facilidades de acesso, com o tempo veio o aumento do número de carros e pouco se fez para a melhora da estrada e no trecho da serra continua a mesma de 35 anos atrás, fazendo com que congestionamentos sejam constantes, principalmente em período de feriados.

A necessidade de duplicação da pista é um assunto debatido constantemente, mas devido a uma série de fatores e entre eles a questão da estrada estar cortando o Parque Estadual da Serra do Mar e outras áreas que são de mananciais, as questões de desapropriações e do impacto ambiental que a duplicação causará.

Pensando exatamente nestes problemas que resolvemos apresentar uma proposta de se criar uma estrada em cima da existente. Mesmo causando impacto, mas em menor proporção, alem de ser um sistema construtivo que é composto por Pórticos colocados às margens da estrada e com lajes estaiadas prevendo que sua implantação não seria necessária a paralização da estrada por longos períodos.

Com uma estrada em cima da outra, poderia a de cima ser no sentido Mogi das Cruzes Bertioga para desfrutar a bela vista do litoral e o retorno e subida da serra por baixo, com toda a estrada iluminada utilizando a tecnologia de placas de fotovoltaicas.

Um ponto fundamental para toda a estrada tanto a de cima como a de baixo é a captação das águas pluviais e o seu despejo passando por um sistema de tratamento de água para que as águas contaminadas com óleo, borrachas e poluição do asfalto não venham contaminarem os córregos e rios que margeam a estrada.

A proposta pode ser utópica para o momento, mas não deixa de ser uma contribuição para ampliar os debates em busca de soluções para o transito nos próximos anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *